Bcaa

Bcaa – Estimula a síntese proteica, reduz o catabolismo e aumenta a massa muscular

bcaa em po

Entre os componentes mais importantes para a vida estão os aminoácidos que são compostos orgânicos formados por carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio em sua grande maioria, podendo ainda conterem outros elementos químicos como o enxofre.

Essas pequenas partículas são as responsáveis por formar as proteínas, como “blocos de tijolo” que constroem um muro. Essas “paredes” formadas, ou, na vida real, tecidos (musculares, de órgãos de membranas etc) constroem o “cômodo” da casa que, por sua vez é uma parte de um sistema que, analogicamente então, poderia ser chamado de “casa”. Como é possível observar com essa brincadeira análoga, as menores partículas responsáveis pela construção de todo ser vivo são justamente os aminoácidos, em sua simplicidade, porém, promovendo trabalhos altamente complexos.

Entre os muitos aminoácidos existentes no mundo, o corpo humano tem a capacidade de trabalhar com o metabolismo de 20, havendo algumas exceções as quais não são de grande importância a princípio. Desses 20 aminoácidos que o corpo é capaz de produzir apenas 12 deles, sendo esses considerados aminoácidos não essenciais. Os 8 aminoácidos restantes, por sua vez, são considerados como aminoácidos essenciais e que por sua vez, necessitam ser consumidos pela dieta.

Porém, alguns aminoácidos essenciais podem receber outras classificações, entre elas sobre sua cadeia, onde três principais se destacam e são conhecidos como aminoácidos de cadeia ramificada: a L-Leucina, a L-Isoleucina e a L-Valina. Especialmente esses são os aminoácidos mais relacionados com o estímulo à síntese proteica e com as atividades físicas e, não é por acaso que suplementos de BCAA hoje são utilizados no mundo inteiro por atletas e esportistas das mais diferentes modalidades existentes, com muitas fundamentações e objetivos diferentes também.

Os BCAA, síntese proteica e redução do catabolismo

Apesar de todos os aminoácidos serem importantes na construção de uma proteína, os BCAAs podem ser considerados os principais aminoácidos relacionados com a síntese proteica, especialmente pela L-Leucina. Ela é capaz de sinalizar as células para que iniciem os processos relacionados com a mTOR, que é a principal via de síntese proteica do corpo. Ainda, potencializando esse efeito, a L-Leucina também estimula o pâncreas a liberar pequenas secreções insulínicas, que são essenciais na síntese proteica.

De maneira incrível, os músculos reagem muito bem aos BCAAs frente a síntese proteica. Estudos vem demonstrando cada vez mais que o uso de BCAAs por si só é capaz de elevar a síntese proteica, especialmente quando utilizados imediatamente depois do treinamento.

Os processos de síntese proteica previnem o catabolismo, especialmente o muscular que é muito evidente durante as atividades físicas e que é indesejado por quaisquer praticantes de atividades físicas. Eles auxiliam também no anabolismo de uma maneira geral, favorecendo o ganho de massa muscular. Esses dois fatos são vantajosos não somente para praticantes de esportes, mas ainda, para pessoas que sofrem de doenças e mesmo da sarcopenia.

BCAA e redução da fadiga

Os BCAAs também são utilizados com o intuito de reduzir a fadiga, tanto periférica (especialmente a muscular) quanto central, por mecanismos distintos.

No primeiro caso, eles servem como substratos energéticos, favorecendo o fornecimento de energia ao músculo, especialmente durante as atividades físicas, onde são altamente recrutados e, indispensavelmente “desgastados”.

No segundo caso, eles competem com o aminoácido L-Triptofano na entrada no cérebro pela membrana hematocefálica. Quando promovem essa competição, impedem que o L-Triptofano desempenhe papéis como precursor de neurotransmissores que indicarão a fadiga.

É por conta desses principais fatores que eles costumam ser adicionados tanto no pré-treino quanto no pós-treino, mesmo que você já esteja ingerindo alguma fonte proteica, pois, as quantidades não costumam ser suficientes quando não suplementadas.

Por algumas vias auxiliares, os BCAAs também podem ser substratos para a gliconeogênese, ou seja, para a formação de glicogênio por subtratos que não são glicídios. Assim, eles também auxiliarão no rearmazenamento de glicogênio, especialmente muscular, que é o mais utilizado nas atividades físicas.

Bcaa em pó

Esta nova apresentação de bcaa em pó vem ganhando cada vez mais força entre os atletas.
Devido seu rápido poder de absorção e maior concentração nas dosagens que a versão em cápsula tradicional.

Os BCAA podem engordar ou gerar efeitos colaterais?

A grosso modo, não se conhece “malefícios” ocasionados pelos BCAAs, principalmente quando utilizados por esportistas ou atletas que necessitam de quantidades superiores as obtidas na dieta desses compostos. Entretanto, sabe-se que quaisquer sobrecargas proteicas para indivíduos que sofram de algumas patogenias, como as renais, podem não ser interessantes.

Além disso, apesar de extremamente benéficos na síntese proteica, a L-Leucina estimula pequenas secreções insulínicas o que eventualmente pode ocasionar menor lipólise no corpo e dificultar quem busca a perda de gordura. Porém, de fato só irá atrapalhar caso usada em excesso, sendo um importante suplemento pré e pós-treinamento para essas pessoas também.

A ciência vem evidenciando que o consumo constante de aminoácidos (sejam eles isolados ou de proteínas) e, especialmente da L-Leucina pode de alguma forma rebote inibir a síntese proteica, por mais paradoxo que pareça ser. Portanto, a não ser em casos específicos, consumi-los com frequência no dia (ou mesmo proteínas) pode não ser uma das mais inteligentes estratégias.

Eles podem ser usados por homens e mulheres das mais diferentes idades e, combinados com outros suplementos, sem restrições ou efeitos de inibição de um ou de outro.

Como utilizar os BCAAs?

Os BCAAs podem ser utilizados de inúmeras maneiras, com inúmeros protocolos e as mais diferentes dosagens. Não há um consenso do quanto deva ser usado em quantidades. Todavia, as evidências mostram que EM MÉDIA 1,2-3g de L-Leucina, especialmente, antes e depois do treinamento são interessantes. Mas, considere sempre a recomendação de seu profissional.

Os principais momentos para o uso dos BCAAs são mesmo antes e depois do treinamento, porém, ao acordar também pode ser um momento interessante para dar um rápido “start up” na síntese proteica, especialmente porque eles não passam por processos de digestão (visto que são aminoácidos livres) e são rapidamente absorvidos no intestino e disponibilizados na corrente sanguínea.

Hoje existem inúmeras formas de apresentação do produto, incluindo pós, cápsulas, comprimidos, balas de mascar ou chupar, em drinks entre outros. Vale conferir na BIG suplementos as melhores marcas e qualidades disponíveis no mercado e com um ótimo preço que surpreenderá você.